Évora - História

De ocupação multi-secular, Évora apresenta-se Como um livro em cujas ruas é possível ler a história da cidade. Celta, romana, visigoda, árabe e novamente cristã. Da Liberitas Julia resta o magnífico Templo Romano, datado do século I-II d.C., que convive com a Sé Catedral, iniciada em finais do século XIII. A ocupação muçulmana é testemunhada por uma porta fortificada. A partir do século XV a cidade torna-se num importante centro político e cultural. No século XVI recebe a segunda universidade do país, controlada pelos jesuítas (elite cultural da Igre ja, saída da Contra-Reforma) onde leccionaram alguns dos mais influentes nomes da cultura europeia de então. Nos séculos XVII e XVIII investiu-se na remodelação dos templos, com talha dourada e painéis azulejares de grande qualidade casario branco e baixo, erguem-se casas senhoriais. A Praça do Giraldo é o coração desta verdadeira cidade-museu.

A parte entre muralhas conserva bastantes traços dos seus tempos mais antigos, incluindo monumentos de várias épocas. O centro histórico de Évora faz parte da lista da UNESCO das cidades património mundial. Foi habitada no tempo dos romanos, tendo sido chamada Liberalitas Julia, e deste período restam inúmeros vestígios dos quais se destaca o templo romano conhecido por ''Templo de Diana''. Durante as invasões barbaras, Évora esteve sobre domínio visigodo. Em 715 D.C. a cidade foi conquistada pelos mouros.

Évora foi tomada aos mouros por Geraldo ''Sem pavor'' em 1166 (foral concedido por D. Afonso Henriques no ano seguinte) e tornou-se durante a Idade Média uma das mais prosperas cidades do reino, principalmente durante a dinastia de Avis (1385-1580). Em 1551 foi fundada pelos Jesuítas a universidade, e por cá passaram grandes mestres do saber da época como por exemplo Clenardo e Molina. Em 1759 foi encerrada por ordem do Marques do Pombal, aquando da expulsão do Jesuítas (universidade voltou a ser reaberta apenas em 1973). O século 18 marco o inicio do declínio da cidade de Évora.

 A testemunhar a dinâmica histórica e cultural das várias épocas, ficaram os muitos e belos monumentos realizados por diferentes artistas, que hoje podem ser admirados em todo o seu esplendor.

 Hoje o bonito centro histórico de Évora ocupa uma área de 105ha e possui cerca de 4000 edifícios.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação e fornecer o melhor serviço possível. Continuando a navegar no site, aceita o seu uso.

Ver mais
Ok